Seguidores

.

.

Pesquisa personalizada
Calendário Feminista

24 de fevereiro – Dia da conquista do voto feminino no Brasil
8 de março – Dia Internacional da Mulher
30 de abril – Dia Nacional da Mulher
28 de maio – Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Morte Materna
25 de julho – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha
29 de agosto – Dia da Visibilidade Lésbica no Brasil
23 de setembro – Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças
28 de setembro – Dia pela Descriminalização do aborto na América e Caribe
10 de outubro – Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher
25 de outubro – Dia Internacional contra a Exploração da Mulher
25 de novembro – Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher
6 de dezembro – Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres

terça-feira, 11 de março de 2014

Professora da UNEB, Campus V, é a única brasileira a participar de Simpósio na França sobre Feminismos

No mês em que o mundo celebra o Dia Internacional da Mulher Cláudia Pons Cardoso, doutora e professora da UNEB, do Departamento de Ciências Humanas, Campus V, pesquisadora do NUGSEX Diadorim, participa, de 28 a 31 de março, na Université Paris Diderot (França), do Simpósito Internacional Interseccionalidade e Colonialismo, organizado pelo CEDREF (Centro de documentação e pesquisa de estudos feministas). Ela e Patricia Hill Collins (uma das intelectuais negra norte-americana mais influente do pensamento feminista negro), abrem o evento, tratando da participação das mulheres negras na construção de um mundo descolonizado.

Claudia será a única representante brasileira neste simpósio, que reúne mulheres de vários países, como Canadá, Índia, Moscou. A exposição de Cláudia faz parte de sua tese de doutorado, defendida em 2012, no Neim\UFBA intitulada "Outras falas: feminismos na perspectiva de mulheres negras brasileiras’’. Ela  tratará da teoria e práxis da interseccionalidade no movimento de mulheres negras brasileiras.

A proposta de interseccionalidade  entende que as mulheres negras, de forma singular, reúnem uma série de fatores de exclusão, como sociais, raciais, econômicos etc, que as colocam em um lugar social diferenciado de outros grupos de mulheres não negras.
Na verdade, a proposta é uma tentativa de levar em conta, nas discussões sobre a participação das mulheres nas sociedades, a complexidade e multiplicidade de posições sociais e identidades das mulheres negras. Essa ideia, foi proposta em 1989 pela norte- americana Kimberlé Crenshaw.

*Ogrigada por sua atenção. Caso queira mais informações favor contatar com :

Céres Santos – Jornalista Reg. 6156 DRT\RS
Tel. – (71) 9989.7243
Salvador, 11 de março de 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa personalizada