Seguidores

.

.

Pesquisa personalizada
Calendário Feminista

24 de fevereiro – Dia da conquista do voto feminino no Brasil
8 de março – Dia Internacional da Mulher
30 de abril – Dia Nacional da Mulher
28 de maio – Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Morte Materna
25 de julho – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha
29 de agosto – Dia da Visibilidade Lésbica no Brasil
23 de setembro – Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças
28 de setembro – Dia pela Descriminalização do aborto na América e Caribe
10 de outubro – Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher
25 de outubro – Dia Internacional contra a Exploração da Mulher
25 de novembro – Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher
6 de dezembro – Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Workshop "Historicizing Gender and Sexuality in the Global South"

CODESRIA/SEPHIS collaborative programme is pleased to announce the 7th edition of its Extended Workshop on New Theories and Methods in Social History which is scheduled for the 2nd – 12th of November 2010 in Dakar, Senegal. The theme of the workshop is: Historicizing Gender & Sexuality in the Global South. The Workshop will be organised around the comparative experiences of Africa, the Middle East, Asia, the Caribbean and Latin America. It will bring together about 10 young historians and historically-inclined social scientists for ten days of joint reflection, knowledge building and training.
The participants will follow a programme designed to permit them to share experiences, improve the theoretical and methodological quality of their work, and deepen their comparative insights.

Theme and Content of the Workshop
In recent times, gender and sexualities have become key elements in the construction of the image of the Global South. Their importance lies in that they involve complex interplays of historical genealogies the origins of which can be traced to the socio-cultural, political and economic foundations of social life in the Global South. Unfortunately, while there already is a growing body of work on these issues, such lack historical depth and dimension crucial for production of knowledge that reflects the reality of the Global South. As a consequence, there is at present often less analysis of the complex histories, practices and public understandings of gender and sexualities in the Global South.

The 2010 Extended Workshop offers an opportunity for scholars from the Global South to engage in research and debate on gender and sexualities in the Global South that will result in greater understanding of the complex interplay of histories and cultures underpinning and sustaining gender, sexuality and society. The objective of the workshop is to stimulate a historically-grounded, comparative analysis of gender and sexuality issues with a view to promoting reflections on the origin, direction and changes in the concepts especially in the light of globalisation.

Among the sub-themes around which reflection will be organised are:
♦ Conceptualizations of Gender and Sexuality in Global South; Histories of Sexuality and Gender in the Global South; Law, Gender and Sexuality; Sexuality, Globalisation and Development Theory; Gender, Sexuality and Ideology in the Global South; Gender, Sexuality and Daily Practices; Religion, Gender and Sexuality in the Global South; Language and Sexuality in Global South; Gender, Sexuality and Class; Masculinity, Sexuality and Gender.

Theoretical and empirically-grounded studies on each of these sub-themes will be encouraged in order to promote debate on recent methodological and theoretical developments in Social History as they bear on gender and sexualities. To this end, participants will be encouraged to carry out their reflections in a comparative perspective. Participants will also be offered practical support in sharpening their skills on how to write an article, plan a research project, and submit a research proposal for funding. The discussions will be linked to the research interests of the participants and the progress of their work.

Accommodation and Excursions
The workshop will be held in Dakar, Senegal. CODESRIA will provide a stimulating and pleasant environment within which participants can work. The Council will also take care of the air travel, accommodation, and local transport expenses of the participants. Furthermore, a subsistence allowance to cover living expenses will be provided. Resource persons will also receive an honorarium. Local excursions will be organised for all participants in order to make their stay more enjoyable.

Eligibility
The Workshop is open to PhD students registered in Southern universities, i.e., Africa, Asia, the Middle East, and Latin America and the Caribbean. Pls note that the working language of the workshop is English. All applicants are strictly required to be proficient in that language.

Application Procedures
Laureates: Applications should include the following:
1) a Curriculum Vitae (maximum of two pages),
2) a letter certifying that the candidate is enrolled in a PhD programme at a university in the South,
3) a research proposal outlining the candidate’s current research project, including the methodology that is being employed or considered (at most four pages),
4) a sample of the applicant’s work (a draft paper, a draft research proposal or a draft thesis chapter), 5) a letter from the thesis supervisor indicating why this workshop will be of importance to the applicant,
6) a statement that the candidate has not attended a SEPHIS funded workshop before.

Convener/Resource Persons:
Applicants for the position of Course Convener and Resource Persons should submit:
1) an application letter; 
2) a curriculum vitae; and 
3) a two-page course outline of three lectures specifically focusing on the issues to be covered in the sub-themes.

Applications must be written in English. The deadline for the submission of applications is 30th June 2010. An international scientific committee will examine the dossiers of all candidates by 20th of July 2010. Successful applicants will be notified immediately after the completion of the selection process. Incomplete and unnecessarily lengthy applications will not be taken into consideration. All faxed and e-mailed applications must also be accompanied by a hard copy original version sent by post if they are to be considered.

Additional information about the Extended Workshop can be obtained via:
♦ the CODESRIA web site: http://www.codesria.org
♦ the SEPHIS web site: http://www.sephis.org

Applications and requests for more information should be sent to:
CODESRIA/SEPHIS Extended Workshop on Social History
Avenue Cheikh Anta Diop, angle Canal IV
B.P. 3304, Dakar, Senegal
Fax: (221) 824 12 89
Tel: (221) 825 98 22/23
E-Mail: extended.workshop@codesria.sn

Imperdível: Programa Capoeira de Saia 2010 - BA


Apresentação

A capoeira atualmente é uma das artes que mais cresce no Brasil e no mundo, estando presente em todas as unidades da federação brasileira e em mais de 120 países, o que faz com que a mesma esteja ganhando um espaço cada vez maior na mídia, firmando-se como um importante recurso para a construção de uma identidade saudável e cidadã, sendo assim viemos propor: O “Capoeira de Saia” – Programa de Capacitação em Capoeira é um programa que será executado em três edições 2008, 2009 e 2010, em ambiência baiana, nacional e mundial respectivamente, e que aglutinará mulheres praticantes da capoeira e áreas afins, provenientes de todo os continentes, em Salvador-Bahia, promovendo um contínuo cronograma de atividades, dentre elas: palestras, festivais, excursões, cursos de extensão e vivências ministradas pelos maiores mestres desta arte no Brasil.

A primeira edição - Baiana - foi realizada no dia 17/05/2008, na Fortaleza de Santo Antônio Além do Carmo _ Forte da Capoeira, das 08 as 20 h, reuniu 300 praticantes e inúmeros convidados (Mestre João Pequeno de Pastinha – ícone da capoeira mundial - aos 90 anos de idades foi um deles além de tantos outros).

A segunda edição – Nacional – foi realizada nos dias 01, 02 e 03 de maio de 2009, também na Fortaleza de Santo Antônio Além do Carmo – Forte da Capoeira, reuniu mais de 300 praticantes/dia, dentre elas mulheres baianas, paulistas, cariocas, paraenses, goianas, chilenas, colombianas, alemãs, argentinas e mais uma vez foi sucesso de público e programação...

Composta por palestras, projeção de filme | documentário inédito, oficinas, depoimentos dos diversos mestres presentes, seleção de atrizes para filme de cadeia internacional (filme Besouro: nasce um herói do diretor João Daniel Tikhomiroff)


PROGRAMAÇÃO

26/05/2010 - Quarta
Fortaleza de Santo Antônio 18:00
Credenciamento 19:00
Conferência de abertura com lideranças femininas contemporâneas | capoeiristas, autoridades políticas, artistas, sambadeiras, baianas de acarajé e lideranças religiosas 19:30
Palestra de abertura: Mãe Stella de Oxossi | Ilê Axé Opô Afonjá 20:30
Roda Oficial de Abertura do Capoeira de Saia

27/05/2010 - Quinta
Fortaleza de Santo Antônio | Salvador 08:00
Credenciamento 08:30
Cadastramento | Excursão pelo Recôncavo Baiano* 09:30
Palestra Lei Maria da Penha | Representante da SPM – SEPROMI | Governo do Estado da Bahia 11:00
Palestra “Conquistas e desafios do profissional de capoeira: panorama histórico, social, cultural e jurídico” 14:00
Credenciamento 15:00
Vivências em rodízio | Capoeira Angola, Regional e Baiana 19:00
Mesa redonda “Iê!” Mestre/a quem foi sua aluna? - Leitura social estratégica a partir da fala de quem educa | Mestras/es convidados (as) 20:00
Show cultural FUMEB e roda do Capoeira de Saia

28/05/2010 - Sexta
Cidade do Saber - Camaçari 07:00
Saída de ônibus: Salvador – Farol da Barra| Lauro de Freitas| Abrantes e Arembepe 08:00
Credenciamento 09:00
Palestra “Lei Maria da Penha: em busca de uma cidadania efetiva” | Representante da SPM – SEPROMI 10:00
Atividades nas salas e Ginásio Poliesportivo 13:30
Teatro da Cidade do Saber Exibição do filme “Besouro: nasce um herói” ou “Pray in the will” mulheres da África 16:00
Colóquio de mestras, contramestras, professoras e trenéis de capoeira |Convidadas de renome internacional 17:30
Palestra “Profissionalização da mulher na capoeira: limites, conquistas e possibilidades” | Carolina Magalhães - Mestra Brisa (UNEB | GUETO) 19:30
Caminhada para Praça Desembargador Montenegro | Camaçari 20:00
Show de manifestação popular de Camaçari e Roda Capoeira de Saia

29/05/2010 - Sábado
Cabana da Barra e Farol da Barra | Salvador 08:30
Credenciamento 09:00
Maculelê tradicional de Santo Amaro | M. Macaco – ACARBO Santo Amaro 10:00
Samba de Roda Tradicional | Marinalva Nascimento “Nalvinha”- FUMEB 11:00
Oficina Percussiva | Mestre Lua Rasta 15:00
Concentração e entrega das camisas do evento | Farol da Barra 15:30
Homenagem a autoridades e mestras (es) convidados 16:00
Aulão de Capoeira|Convidadas de renome internacional 17:30
Rodas de Capoeira, maculelê e samba de Roda 18:00
Grupo de Samba “Raízes de Santo Amaro” 19:30
Show cultural Parafolclórico FUMEB e Show Banda Didá

30/05/2010 - Domingo
Santo Amaro da Purificação e Cachoeira “Bebendo na fonte... um passeio pelo Recôncavo Baiano” 08:00
Saída de ônibus: Salvador - Forte de Santo Antônio Além Carmo | Arembepe| Camaçari |Lauro de Freitas 09:30
Cidade de Santo Amaro – Palestra, oficina de samba e roda de capoeira | Teatro D. Canô, Casa do Samba e Praça da Matriz 12:00
Intervalo para almoço 13:00
Saída de ônibus | frente à Casa do Samba 14:00
Cidade de Cachoeira – Palestra e roda de encerramento do Capoeira de Saia | Instituto Danemann e Rodoviária 16:00
Entrega de Kit Lanche 16:30
Retorno a Salvador – Forte de Santo Antônio | Camaçari | Lauro de Freitas | Arembepe 2.
Capoeira de Saia 2010 | Curso de Qualificação e Formação para Capoeiristas

Em sua 1ª edição piloto o curso terá divulgação realizada a partir de março até outubro, inscrições abertas a partir de agosto, seleção de aprovados pela comissão do curso divulgada em setembro para então iniciar suas atividades no dia 1º de outubro, com encerramento previsto para meado de dezembro onde as (os) alunas (os) deverão estar participando da cerimônia de certificação no Teatro Caetano Veloso na Universidade do Estado da Bahia – UNEB. O curso será composto por quatro linhas de estudo que oferecerão 40 vagas por cada linha, totalizando a qualificação de 160 capoeiristas certificadas (os) pela UNEB. São elas:

- Curso de produção, gestão e elaboração de projetos culturais em Capoeira;
- Organização e planejamento do ensino em Capoeira;
- Historicidade e ancestralidade na Capoeira;
- Processo de Formalização dos Centros Culturais de Capoeira;

Para contatos, informações e entrevistas procurar:
www.capoeiradesaia.com.br Carolina Magalhães | Mestra Brisa Mestra de Capoeira | Produção Geral
brisacapoeira@msn.com | brisacapoeira@gmail.com 055.71.87935400 | 71.81349904

É hoje! Vígilia pelo fim da violência contra as mulheres - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

UNIFEM Brasil e Cone Sul seleciona, até 3 de maio, candidaturas para consultoria para o Programa Brasil Quilombola

Contratação é feita através do Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia

Brasília (Brasil) - O UNIFEM Brasil e Cone Sul (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher), por meio do Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia, recebe até 3 de maio candidaturas de profissionais para a vaga de consultoria para suporte ao Programa Brasil Quilombola, coordenado pela SEPPIR (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial). A contratação pretende contribuir para o monitoramento e a implementação do Programa, além de propor propor ajustes à metodologia de monitoramento e aos procedimentos de implementação empregados. O trabalho será realizado em Brasília sob a coordenação da SEPPIR.

As pessoas interessadas devem possuir formação superior e pós-graduação na área de Ciências Humanas, com conhecimentos no campo de políticas de gênero, raça e etnia, com especial ênfase na área de monitoramento e avaliação de projetos governamentais e construção de indicadores. É exigida experiência profissional comprovada mínima de dois anos na área de monitoramento e avaliação de políticas públicas. É desejável conhecimento em relação aos programas, projetos e atividades em relação aos planos, programas e projetos da Política Nacional de Promoção de Igualdade Racial, em particular aqueles relacionados à população quilombola e às ações afirmativas no campo da educação e trabalho, da diversidade cultural, da segurança e direitos humanos e da saúde integral da população negra – incluindo as Políticas Nacionais de Saúde Integral da Mulher e de Direitos Sexuais e Reprodutivos.

As candidaturas serão validadas somente por meio do preenchimento do formulário on line de consultorias, contendo no assunto da mensagem “Consultoria PBQ”. As candidaturas serão aceitas até às 12h do dia 3 de maio de 2010, com envio do formulário preenchido para recrutamentoUNIFEM@hotmail.com

Para mais informações sobre a vaga, consulte o termo de referência.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Presença das mulheres na antropologia do século XX em debate na UFSC


Miriam Pillar Grossi, antropóloga e professora da UFSC, apresenta nesta quarta-feira, 28 de abril, no miniauditório do CFH, às 18h30min, os resultados das recentes pesquisas de seu pós-doutorado, sobre a presença das mulheres na antropologia do século XX.

As debatedoras de "Antropólogas no século XX: uma história invisível?" serão as professora Antonella Tassinari, do Núcleo de Estudos das Populações Indígenas (NEPI) e Ilka Boaventura Leite, do Núcleo de Estudos de Identidade e Relações Interétnicas (NUER).

A pesquisadora realizou seu segundo pós-doutorado, como bolsista do CNPq, na École des Haute Études em Sciences Sociales (EEHSS), na França e na University of California – Berkeley, Estados Unidos.

O evento integra o projeto Diálogos Transversais em Antropologia, promovido pelo Laboratório de Antropologia Social (LAS)
www.las.ufsc.br, que converge os laboratórios e grupos de pesquisa de antropologia da UFSC. O projeto pretende uma conversa entre os núcleos do LAS, aberta ao público, e já apresentou debates como: O que as crianças têm a ensinar para a Antropologia ?

Miriam é coordenadora do Núcleo de Identidades de Gêneros e Subjetividade (NIGS)wwww.nigs.ufsc.br.
Foi presidente da Associação Brasileira de Antropologia (ABA), é membro do corpo editorial de vários periódicos como a Revista de Estudos Feministas (REF), Cadernos Pagu, Nouvelles Questions Féministes e a Revista Sociedade em Estudos. Suas grandes áreas de estudos são: gênero, violência contra mulheres, homossexualidades e parentesco, ensino de antropologia, história da antropologia francesa e da antropologia brasileira.

A antropóloga recebeu vários prêmios como o de melhor livro acadêmico sobre Sexualidade, da Sociedade Brasileira de Sexologia com – Conjugalidades, Parentalidades e Identidades Lésbicas, Gays e Travestis, (2007) e também o prêmio Pierre Verger (ABA) pelo documentário Mauss e suas alunas (2002), realizado em parceria com Carmen Silvia Rial, também do Departamento de Antropologia da UFSC. O filme foi escolhido para o encerramento do 23eme Bilan du Film Ethnographique, realizado em 2004, em Paris.

Miriam, também em co-autoria com Carmen, realizou o documentário Germaine Tillion - Là oú il y a du danger on vous trouve toujours, (2007) que trata da trajetória acadêmica e pessoal de Germaine Tillion (1907-2008) destaque na antropologia, uma das maiores personagens francesas do século XX.

Mais informações: www.miriamgrossi.cfh.prof.ufsc.br

Por Alita Diana/jornalista da Agecom/UFSC

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Oficina para Rede de Atenção a Mulher em Situação de Violência


“Diálogos sobre Raça-Gênero e Enfrentamento a Violência contra Mulher”
Data: 28 de abril 2010
O CEAFRO tem o prazer de convidar as integrantes da Rede Metropolitana de Enfrentamento a Violência contra Mulher para uma oficina do Projeto Encruzilhada de Direitos- Raça, gênero e enfrentamento a violência contra mulheres negras na Bahia.  Este projeto é parte do Pacto Nacional de Enfrentamento a violência contra as mulheres coordenado pela SPM-PR e na Bahia pela SPM-Sepromi.     
Seguem as informações.
Temas:
  • Interseccionando Conceitos Básicos: Raça-Gênero-Violência
  • A agenda do Feminismo Negro sobre Violência contra mulher
  • Limites e possibilidades do enfrentamento a Violência contra a Mulher
Número de participantes:   
30 integrantes da Rede da Região Metropolitana  de Salvador            
Data:       28 de abril 2010
Carga Horária:       8 horas
Horário:    9 – 13 horas e das 14 – 18 horas
Local:       Auditório CEAFRO – Largo 2 de julho
Inscrição:       Através da ficha de inscrição em anexo para ceafro@ufba.br até dia 26 de abril
Observação:  Almoçaremos juntas no local da oficina. 
 
Contatos: (71) 3283-5520/ telefax.: 3322-2517

terça-feira, 20 de abril de 2010

Ativista norte-americana Dorothy Height morre aos 98

Ter, 20 Abr, 10h22 (Foto: Reuters)
 
WASHINGTON (Reuters) - A ativista norte-americana de direitos civis Dorothy Height, presidente do Conselho Nacional das Mulheres Negras, morreu na terça-feira em Washington, aos 98 anos.
Assistente social de formação, Height começou a militar pelos direitos civis e a igualdade de gênero na década de 1930, atuando para evitar linchamentos, proibir a segregação nas Forças Armadas dos EUA, reformar o processo penal e promover o livre acesso a acomodações públicas no país.
Ela morreu de causas naturais no Hospital Universitário Howard, segundo uma porta-voz da clínica.
No obituário dela publicado em sua edição digital, o jornal The Washington Post disse que "a sra. Height foi possivelmente a mulher mais influente nos altos escalões da liderança dos direitos civis, mas nunca atraiu a atenção da grande imprensa, que conferiu celebridade e reconhecimento instantâneo a alguns outros líderes dos direitos civis da sua época".
Em 1994, o então presidente Bill Clinton lhe concedeu a Medalha Presidencial da Liberdade, maior honraria civil dos EUA. Em 2004, ela recebeu a Medalha de Ouro do Congresso.

Campanha "Prêmio Nobel da Paz para as Mulheres Africanas"

A África caminha com os pés das mulheres. No desafio da sobrevivência, todos os dias centenas de milhares de mulheres africanas percorrem as estradas do continente à procura de uma paz duradoura e de uma vida digna. Num continente massacrado há séculos, marcado pela pobreza e sucessivas crises econômicas, o papel desenvolvido pelas mulheres é notório.

A campanha, nascida na Itália, já percorre o mundo para incentivar a entrega do Prêmio Nobel da Paz de 2011 para as mulheres africanas.

A proposta é da CIPSI, coordenação de 48 associações de solidariedade internacional, e da ChiAma África, surgida no Senegal, em Dakar, durante o seminário internacional por um Novo Pacto de Solidariedade entre Europa e África, que aconteceu de 28 a 30 de dezembro de 2008.

Chama a atenção a luta e o crescente papel que as mulheres africanas desenvolvem, tanto nas aldeias, quanto nas grandes cidades, em busca de melhor condição de vida. São elas que sustentam a economia familiar realizando qualquer atividade, principalmente na economia informal, que permite cada dia reproduzir o milagre da sobrevivência.
 
Existem na África milhares de cooperativas que reúnem mulheres envolvidas na agricultura, no comércio, na formação, no processamento de produtos agrícolas. Há décadas, elas são protagonistas também na área de microfinanças, e foi graças ao microcrédito que surgiram milhares de pequenas empresas, beneficiando o desenvolvimento econômico e social, nas áreas mais remotas até as mais desenvolvidas do continente.

Além de terem destaque cada vez mais crescente na área de geração de emprego e renda, as mulheres, com seu natural instinto materno e protetor, lutam pela defesa da saúde, principalmente, contra o HIV e a malária. São elas, as mulheres africanas, que promovem a educação sanitária nas aldeias. E, além de tudo, lutam para combater uma prática tão tradicional e cruel na região: a mutilação genital.
 
São milhares as organizações de mulheres comprometidas na política, nas problemáticas sociais, na construção da paz.
 
Na África varrida pelas guerras, as mulheres sofrem as penas dos pais, dos irmãos, dos maridos, dos filhos destinados ao massacre e sabem, ainda, acolher os pequenos que ficam órfãos. 
 
“As mulheres africanas tecem a vida”, escreve a poetisa Elisa Kidané da Eritréia.
 
Sem o hoje das mulheres, não haveria nenhum amanhã para a África.
 
Em virtude de toda essa luta e para reconhecer o papel de todas elas é que surgiu a proposta de lançar uma Campanha Internacional para dar o Prêmio Nobel da Paz de 2011, a todas as mulheres africanas. Trata-se de uma proposta diferente, já que esta não é uma campanha para atribuir o Nobel a uma pessoa singular ou a uma associação, mas sim, um Prêmio Coletivo, a todas essas guerreiras.

 
A ideia é lançar um manifesto assinado por milhões de pessoas, por personalidades reconhecidas internacionalmente e criar comitês nacionais e internacionais na África e em outros continentes. Além de recolher assinaturas, a campanha deve estimular também encontros organizados com mulheres africanas, convenções e iniciativas de movimento.
 
Nós, latino-americanos e latino-americanas, temos muito sangue africano em nossas veias e em nossas culturas. Vamos gritar nossa solidariedade com a África assinando a petição.
 
A criatividade dos Movimentos Sociais e Populares, das ONGs, grupos religiosos, universidades, sindicatos, etc., pode inventar mil atividades para difundir essa iniciativa e colocar a mulher africana no centro da opinião pública do mundo.
 
Pode-se criar comitês, eventos com debates sobre a África, show de artistas locais, palestras nas universidades, nos bairros, nas praças, lançamentos da coleta de assinaturas, etc. Nossa criatividade vai fortalecer os caminhos da África.
 
Os membros da campanha são todos aqueles que assinarem a petição online. E para fazê-lo é simples. Para assinar a petição, acesse o link: http://www.noppaw.net/?page_ id=16.
Para mais informações, contate a Campanha pelo endereço: info@noppaw. org ou segretaria@noppaw. org ou no site www.noppaw.org

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Seguem abertas, até 15 de maio, inscrições para o curso Economia e Gênero para economistas

Curso será ministrado para grupo de 30 pessoas, no final de julho, em Buenos Aires. UNIFEM, por meio do Programa Orçamentos Sensíveis ao Gênero, é uma das instituições apoiadoras do curso

Clique aqui para fazer a sua inscrição

Incluir a temática de gênero nos estudos macroeconômicos e desvendar a leitura de dados e indicadores sobre a realidade de homens e mulheres. Esse é um dos objetivos do curso regional intensivo em Economia e Gênero, promovido pelo GEM-LAC – Grupo de Trabalho em Economia e Gênero da América Latina. O curso é dirigido para economistas e acontecerá de 26 de julho a 3 de agosto de 2010, em Buenos Aires, no Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social. A turma será composta por 30 pessoas.

Podem inscrever-se economistas, preferencialmente com pós-graduação, experiência e interesse na temática de gênero, dedicação a pesquisas acadêmicas, atuação na gestão pública ou em organizações da sociedade civil. A inscrição deve ser feita através de formulário on line. As pessoas inscritas poderão solicitar bolsa de estudo, financiada pelo UNIFEM, Instraw, PNUD e Fundación Heinrich Böell. O Programa Regional Orçamentos Sensíveis ao Gênero desenvolvido pelo UNIFEM vai financiar a participação de economistas vinculados às organizações parceiras.

O conteúdo do curso estabelece sete módulos de conteúdos presenciais, tais como introdução ao feminismo e estudos de gênero; teoria econômica relevante para análise de gênero e fenômenos econômicos na América Latina; gênero e trabalho; macroeconomia e análise de gênero; políticas econômicas e interação com as políticas de gênero; gênero, pobreza e desigualdades; e espaço para a economia feminista.

Informações no site do GEM-LAC ou pelo e-mail gemlac@ciepp.org.ar
 
 
UNIFEM Brasil e Cone Sul 

sábado, 17 de abril de 2010

OEI seleciona Consultor/a em Educação e Direitos Humanos - DF

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 048/2010 PROJETO BRA/10/001 - OEI CONTRATA:

A OEI – Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, no âmbito do Projeto OEI BRA/10/001, torna público, para conhecimento dos interessados, que realizará contratação de pessoa física na modalidade produto conforme descrito a seguir:

Qualificação Exigida – Graduação em Ciências Humanas e Pós-Graduação em Educação ou Direitos Humanos, preferencialmente com estudos nas temáticas de gênero, identidade de gênero e orientação sexual. Experiência profissional mínima de 03 (três) anos em gestão e/ou acompanhamento de projetos e políticas educacionais, na área da administração pública. Objetivo: Subsidiar a Coordenação Geral de Direitos Humanos (CGDH), vinculada à Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania (DEIDHUC) na formulação e no apoio à elaboração da política educacional na perspectiva da educação em direitos humanos, visando a promoção da cultura do reconhecimento e valorização da diversidade sexual e o enfrentamento do preconceito, da discriminação e da violência homofóbica.

Nº de Vagas: 1 (uma) vaga.
DURAÇÃO: até 10 (dez) meses.
Local de Trabalho: Brasília-DF.
 
Os interessados deverão enviar o curriculum vitae para o e-mail unidadedeprojetos@mec.gov.br de 15/04/2010 até 22/04/2010, indicando obrigatoriamente o número do Edital.
O Edital completo estará disponível no site www.oei.org.br - Seleção de Consultores. O Processo seletivo tem validade de 12 meses.
A execução dos trabalhos previstos não implica em qualquer relação de emprego ou vínculo trabalhista, sendo, portanto, regido sem subordinação jurídica conforme prevê o § 9° do art. 4° do Decreto n° 5.151/2004. Em atenção às disposições do Decreto nº 5.151, de 22 de julho de 2004, estas contratações serão efetuadas mediante processo seletivo simplificado composto por análise de informações curriculares declaradas (1a Etapa), e, entrevista (2ª Etapa), sendo exigido dos profissionais a comprovação total da experiência profissional declarada, inclusive
aquelas tidas como desejáveis, se for o caso.  

Em atenção às disposições do Decreto nº 5.151, de julho de 2004, é vedada a contratação, a qualquer título, de servidores ativos da Administração Pública Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, direta ou indireta, bem como empregados de suas subsidiárias ou controladas, no âmbito dos acordos de cooperação técnica internacional ou instrumentos congêneres.
A qualquer tempo, os presentes editais poderão ser alterados, revogados ou anulados, no todo ou em parte, seja por decisão unilateral da Coordenação Nacional do Projeto, seja por interesse público ou de exigência legal, sem que isso implique em direitos a indenização e/oureclamação de qualquer natureza.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

OEI seleciona Consultor/a em Gênero e Orientação Sexual - DF

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 049/2010 PROJETO BRA/10/001 - OEI CONTRATA:

A OEI – Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, no âmbito do Projeto OEI BRA/10/001, torna público, para conhecimento dos interessados, que realizará contratação de pessoa física na modalidade produto conforme descrito a seguir:

Qualificação Exigida – Graduação em Ciências Humanas e Mestrado Ciências Humanas. Experiência profissional mínima de 03 (três) anos em gestão e/ou acompanhamento de projetos e políticas educacionais, na área da administração pública. Preferencialmente com pós-graduação em direitos humanos, com estudos nas temáticas de gênero, identidade de gênero e orientação sexual, homofobia e sexismo. Disponibilidade para viagens. 

Objetivo: Subsidiar a Coordenação Geral de Direitos Humanos (CGDH), vinculada à Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania (DEIDHUC), no fomento de ações de promoção da cidadania e dos direitos humanos da população LGBT no ambiente escolar, com o objetivo de combater preconceitos e discriminações fundados no sexismo e na homofobia.

Nº de Vagas: 1 (uma) vagas.
DURAÇÃO: até 10 (dez) meses.
Local de Trabalho: Brasília-DF.
 
Os interessados deverão enviar o curriculum vitae para o e-mail unidadedeprojetos@mec.gov.br de 15/04/2010 até 22/04/2010, indicando obrigatoriamente o número do Edital. O Edital completo estará disponível no site www.oei.org.br - Seleção de Consultores. O Processo seletivo tem validade de 12 meses. A execução dos trabalhos previstos não implica em qualquer relação de emprego ou vínculo trabalhista, sendo, portanto, regido sem subordinação jurídica conforme prevê o § 9° do art. 4° do Decreto n° 5.151/2004. Em atenção às disposições do Decreto nº 5.151, de 22 de julho de 2004, estas contratações serão efetuadas mediante processo seletivo simplificado composto por análise de informações curriculares declaradas (1a Etapa), e, entrevista (2ª Etapa), sendo exigido dos profissionais a comprovação total da experiência profissional declarada, inclusive aquelas tidas como desejáveis, se for o caso. 

Em atenção às disposições do Decreto nº 5.151, de julho de 2004, é vedada a contratação, a qualquer título, de servidores ativos da Administração Pública Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, direta ou indireta, bem como empregados de suas subsidiárias ou controladas, no âmbito dos acordos de cooperação técnica internacional ou instrumentos congêneres.
A qualquer tempo, os presentes editais poderão ser alterados, revogados ou anulados, no todo ou em parte, seja por decisão unilateral da Coordenação Nacional do Projeto, seja por interesse público ou de exigência legal, sem que isso implique em direitos a indenização e/ou
reclamação de qualquer natureza.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Nota da ABGLT sobre declarações do Vaticano referentes à homossexualidade

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – é uma entidade de abrangência nacional, fundada em 1995, que congrega 237 organizações congêneres e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população. A ABGLT também é atuante internacionalmente e tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas.

Diante da declaração do Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, que afirmou nesta segunda-feira (12/04/2010) que é o “homossexualismo” (sic), e não o celibato, que deve ser relacionada à pedofilia, a ABGLT vem a público se manifestar:

A ABGLT deixa claro no seu estatuto que é contra a pedofilia, seja ela praticada por pessoas de qualquer orientação sexual ou identidade de gênero, heterossexuais ou homossexuais. A ABGLT, no seu primeiro Congresso, realizado de 20 a 24 de janeiro de 2005, em Curitiba, Paraná, Brasil, deliberou pela defesa e garantia do estado laico e contra a exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes. A ABGLT entende que a pedofilia é um transtorno, conforme a Classificação Internacional de Doenças 10 - F65.4: 302.2, e que o abuso sexual de crianças e adolescentes é crime. A ABGLT mantém uma campanha permanente contra a pedofilia e o abuso sexual de crianças e adolescentes: http://www.abglt.org.br/port/luta_pedofilia.php ;

Diversos estudos sobre a pedofilia e sobre o abuso sexual de crianças e adolescentes apontam que a maioria destes crimes é perpetrada por heterossexuais, sem que isto signifique que a heterossexualidade cause a pedofilia. As questões relacionadas à pedofilia propriamente dita são muita complexas e não podem se reduzir a tão simplista diferenciação baseada na orientação sexual dos agressores. O que surge de fato como tendência nos estudos é que os crimes são praticados especialmente por pessoas que têm proximidade, exercem autoridade e possuem confiança em relação às crianças e aos adolescentes, como pais, familiares, religiosos;

A ABGLT não aceita esta provocação do Vaticano contra as pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT, que não passa de uma tentativa de desviar a atenção do problema maior que se prolifera dentro do seio da Igreja Católica, o qual  deve - sim - ser explicado e esclarecido para a sociedade em geral;

A ABGLT defende um Estado Laico e entende que a liberdade religiosa não garante ao Vaticano o direito de julgar com suas próprias leis os seus pares que abusam de crianças e adolescentes. A ABGLT entende que religiosos que cometam crimes de abuso sexual de crianças e adolescentes, além de ter o devido acompanhamento dos serviços de saúde, devem ser submetidos às penas previstas pela lei secular, assim como o restante da população. Assim, a ABGLT se soma às demais instituições de direitos humanos e pede que o Vaticano se explique sobre estes crimes cometidos por sacerdotes católicos, e que não culpe de forma irresponsável a comunidade LGBT; 

A ABGLT, diferente dos setores fundamentalistas religiosos, defende a educação sexual para crianças e adolescentes, de tal modo que aprendam a ter autonomia sobre seu corpo, e a se proteger e denunciar abusos dentro de casa, nas igrejas e em qualquer outro lugar;  

A ABGLT convoca as organizações profissionais, de direitos humanos e LGBT, nacionais e internacionais, a se pronunciarem sobre o assunto;

A ABGLT espera que o Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, tenha o mínimo de respeito para as famílias das crianças abusadas por padres e bispos da Igreja Católica, e que, ao invés de jogar a culpa de seus escândalos para a comunidade homossexual, reflita sobre o passado e o mal que historicamente a Igreja tem feito aos negros, deficientes, mulheres, judeus, ciganos, homossexuais e crianças e adolescentes em todo o mundo. Será que futuramente a Igreja vai pedir perdão também aos homossexuais por mais este erro que está cometendo agora?

Viva o Estado Laico. Pelo direito da Educação Sexual de crianças e adolescentes, pela punição (conforme as leis seculares) de religiosos que abusam sexualmente de crianças e adolescentes, por uma nova Igreja que respeite os direitos humanos de todos os cidadãos e todas as cidadãs, sem distinção de qualquer natureza.

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

6º Seminário Nacional "Homens e masculinidades: práticas de intimidade e políticas públicas" - PE

Recife, 1 a 4 de setembro de 2010
www.papai.org.br/masculinidades2010

Submissão de trabalhos: Até 3 de maio

Organização
Instituto PAPAI
Núcleo Gema/UFPE
Promundo
Núcleo Margens/UFSC

Parceiros:
Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO)
Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG)
Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFPE
Fórum LGBT de Pernambuco

Apoio:
Fundação Ford
Ministério da Saúde/Área Técnica de Saúde do Homem

.: VAGAS LIMITADAS
www.papai.org.br/masculinidades2010

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Dissertação aborda trajetórias femininas no comércio de Luanda - BA

O Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos convida:

Defesa de Dissertação de Mestrado 2010.1

 Do pregão da avó Ximinha ao grito da zungueira. Trajetórias femininas no comércio de rua em Luanda
Mestrando: Orlando Almeida dos Santos

Banca Examinadora:
Livio Sansone (Orientador)
Selma Pantoja(Co-orientadora-UnB)
Claúdio Pereira (UFBA)
Angela Figueiredo(UFRB)

Dia: 09/04/2010 às 10hs
Local: Auditório Milton Santos, Ceao/UFBA

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Presidenta da Libéria proferirá a palestra "Brasil, Libéria e a Diáspora Africana" - BA


Única mulher a ocupar o posto de chefe de Estado na África, a presidenta da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf, fará amanhã (08), às 16h, uma palestra sobre Brasil, Libéria e a Diáspora Africana. Aberto ao público, o evento acontece no auditório do Museu de Ciência e Tecnologia da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), no Imbuí. Organizada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi) em parceria com a Uneb, a atividade faz parte de uma ampla agenda da autoridade liberiana no Brasil, com a perspectiva de reforçar operações que visam a aproximação do país com o continente africano.

Na Bahia, a presidenta busca o estabelecimento de cooperações em áreas como a cultural e agrícola, além do estreitamento das relações diplomáticas com o Estado, que concentra o maior contingente de pessoas negras no Brasil. Eleita em janeiro de 2006, Johson-Sirleaf é a líder maior do país africano que inspirou o documentário “Manda o Diabo de Volta para o Inferno” (Pray the Devil Back to Hell, 2008), que credita às
mulheres da Libéria todo o fim da sangrenta guerra civil daquele país.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Promoção da Igualdade
(71) 3115-5142 / 3115-5132 / 9983-9721

FONTE: Correio Nagô

II Jornada de Gênero e Literatura - DF

Datas: 8 e 9 de abril de 2010
Local: Universidade de Brasília
Inscrições: no Departamento de Teoria Literária e Literaturas ou pelo e-mail jornadagenero2unb@gmail.com
Organização: Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea
Coordenação: Regina Dalcastagnè, Cíntia Schwantes e Edma Cristina de Góis
Apoio: Programa de Pós-Graduação em Literatura e Departamento de Teoria Literária e Literaturas
Mais informações: http://gelbcunb.blogspot.com/

Vinculada ao conjunto de representações presentes na sociedade, a literatura não pode prescindir de discutir as questões de gênero, não apenas a presença/ausência de mulheres nos cânones literários, mas também a construção de um campo que permita criticar as hierarquias entre diferentes formas de identidade. A II Jornada de Gênero e Literatura lançará diversos olhares sobre as relações entre gênero e literatura, especialmente a brasileira, a partir de conferências e comunicações de pesquisadoras/es da área. Serão dois dias de debates a respeito dos limites e fronteiras desse campo, como a crítica feminista, a diversidade sexual, as relações com o corpo, a escrita, as publicações, a educação.

PROGRAMAÇÃO

Dia 8/4 : Auditório da Reitoria
Conferência de abertura: 8h30
Sandra Regina Goulart de Almeida:  Gênero, literatura e crítica literária: enfoques contemporâneos
Mediadora: Regina Dalcastagnè

Mesa 1 - 10h às 12h-  Auditório da Reitoria
Cristina Stevens:  Publicar é um ato político
Virgínia Maria Vasconcelos Leal:  O gênero em construção nos romances de cinco escritoras brasileiras contemporâneas
Edma Cristina de Góis : Impalpável ou real: representação e gênero na narrativa literária
Bruna Paiva de Lucena:  O que ficou de fora: mulheres cordelistas na historiografia do cordel
Mediadora: Maria Isabel Edom Pires

Mesa 2 - 14h30 às 17h - Auditório da Reitoria
Cíntia Schwantes:  Narrativas de formação: um enfoque de gênero
Vania Maria Ferreira Vasconcelos:  Rosário de mulher: a maternidade na obra de Conceição Evaristo
Gislene Maria Barral Lima Felipe da Silva : Loucura feminina e criação: uma poética da alteridade no falatório de Stela do Patrocínio
Leda Cláudia da Silva : As vontades de Raquel: representação feminina na obra de Lygia Bojunga
Mediadora: Susana Moreira de Lima

19h Carpe Diem (104 Sul)

Lançamento do livro Deslocamentos de gênero na narrativa brasileira contemporânea, organizado por Regina Dalcastagnè e Virgínia Maria Vasconcelos Leal


Dia 9/4
Mesa 3 - 9h às 11h30 - Auditório Agostinho da Silva (TEL)
Paulo Thomaz: O travestismo como artíficio: simulação, metamorfose e representação em “La guerra de los putos”, de Copi
Adelaide Calhman de Miranda : Nas amarras da matriz: a falência do contrato heterossexual em Os obedientes, de Clarice Lispector e Os sobreviventes, de Caio Fernando Abreu
Mariana de Moura Coelho : Entre identidades: duas experiências homoeróticas em Pela noite de Caio Fernando Abreu
Maria da Glória de Castro Azevedo : O discurso narrativo lesbiano e a matriz heteronarrativa
Mediadora: Virgínia Maria Vasconcelos Leal

Mesa 4 - 14h às 16h30 - Salão de Atos da Reitoria
Luciana Eleonora de Freitas Calado Deplagne:  Auto-representação na obra da escritora medieval Christine de Pizan
Ludimila Moreira Menezes:  Pagu e a escrita de si
Adriana Mattoso Rodrigues:  Silêncios e gritos, corpos e sexualidade: filhas e mães em Lygia Fagundes Telles
Susana Moreira de Lima : O corpo interditado: a sexualidade de uma mulher velha em Lygia Fagundes Telles
Mediador: Anderson Luís Nunes da Mata

Conferência de encerramento - 17h - Salão de Atos da Reitoria
Rita Terezinha Schmidt : Gênero e educação: articulando o papel dos estudos de literatura
Mediadora: Cíntia Schwantes
Pesquisa personalizada