Seguidores

.

.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Roda de conversa com juventude comemora 30 anos do CDCN - BA

O Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN) realiza na próxima segunda-feira (21), a partir das 14 horas, em Salvador, a roda de conversa “Diálogos com a juventude”, integrando a programação dos 30 anos do colegiado. O evento acontece no Centro Cultural Plataforma, reunindo conselheiros, militantes do movimento negro, jovens da região, além de representações governamentais. 

De maneira dinâmica e participativa, serão discutidos temas relacionados aos aspectos da cultura, educação, juventude, mulher negra, além da relação entre racismo e direito. Os debates serão intercalados com intervenções culturais das comunidades do entorno, além de apresentações de hip hop com o grupo Família Tríplice e MC Xarope. O evento conta com apoio das secretarias estaduais da Educação (SEC) e de Cultura (Secult), através do Centro Cultural Plataforma. 

Sobre o CDCN - Vinculado à Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), o conselho tem caráter consultivo, formado por representantes do poder público e da sociedade civil. Tem por finalidade a formulação, proposição, controle social e acompanhamento de programas e políticas públicas de enfrentamento às desigualdades étnico-raciais no estado da Bahia.

Serviço:
O quê:  Roda de conversa “Diálogos com a juventude” – CDCN: 30 anos promovendo a igualdade. 
Quando: Segunda-feira, 21 de agosto de 2017, a partir das 14h.  
Onde: Centro Cultural Plataforma (Praça São Braz, s/nº, Plataforma – Salvador/BA).

Mais informações:
Assessoria de Comunicação - ASCOM
Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi)
Governo do Estado da Bahia
71 3103-1410 / 9 9983-9721

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Maria Firmina dos Reis: autora do primeiro romance abolicionista


terça-feira, 8 de agosto de 2017

Mulheres negras serão homenageadas por Bira Corôa e Benedita da Silva na Assembleia Legistativa - BA


O deputado estadual Bira Corôa (PT), presidente da Comissão Especial de Promoção da Igualdade, receberá pela quarta vez a deputada federal Benedita da Silva (PT) para mais uma sessão de homenagens à mulheres negras por meio do Troféu Pérolas Negras. A honraria será entregue no próximo dia 11 de agosto, a partir das 9h, durante sessão especial, realizada na Assembleia Legislativa da Bahia. Em alusão ao 25 de Julho, Dia Internacional da Mulher Negra na América Latina e no Caribe e Dia Nacional de Tereza Benguela e da Mulher Negra, a quarta edição do Pérolas Negras, terá como tema central Os Desafios de Ser Mulher Negra na Década Internacional Afrodescendente. 

Nesta edição, as homenagens se estenderão a grupos, coletivos e instituições que dedicam suas atividades ao empoderamento de mulheres negras, tendo por base a qualidade de vida e a construção do bem viver dessas mulheres. A lista inclui, por exemplo, o Coletivo Angela Davis, o grupo Maria Felipa da PM-BA, Instituto Odara, Rede de Mulheres Negras da Bahia, entre outros.  

Criado em 2011, o Troféu Benedita da Silva – Pérolas Negras foi pensado enquanto referência ao Dia de 25 de julho, com o intuito de homenagear mulheres negras cujas histórias de vida se destacam no processo de transformação de suas próprias vidas, da vida de outras mulheres e de seu próprio tempo. Desde então, tornou-se símbolo de (re) conhecimento estadual dessas mulheres, imprescindíveis à construção de um mundo solidário, multiétnico e pluricultural. 

A criação do troféu é uma consequência positiva do trabalho iniciado em 2007 pelo deputado Bira Corôa, que, ao assumir os trabalhos da Comissão de Promoção da Igualdade, ampliou e fortaleceu, na Casa Legislativa, o diálogo e o debate sobre questões relacionadas às mulheres negras, suas subjetividades e modos de vida.  

Serviço:
O que: Sessão Especial com entrega do troféu Benedita da Silva - Pérolas Negras
Quando: 11 de agosto, sexta-feira, a partir das 9h
Onde: Plenário da Assembleia Legislativa da Bahia, CAB - Salvador

Aprendendo com as nossas mais velhas: Lélia Gonzalez


Aprendendo com as nossas mais velhas: Lélia Gonzalez