Seguidores

.

.

Pesquisa personalizada
Calendário Feminista

24 de fevereiro – Dia da conquista do voto feminino no Brasil
8 de março – Dia Internacional da Mulher
30 de abril – Dia Nacional da Mulher
28 de maio – Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Morte Materna
25 de julho – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha
29 de agosto – Dia da Visibilidade Lésbica no Brasil
23 de setembro – Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças
28 de setembro – Dia pela Descriminalização do aborto na América e Caribe
10 de outubro – Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher
25 de outubro – Dia Internacional contra a Exploração da Mulher
25 de novembro – Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher
6 de dezembro – Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres

sábado, 12 de maio de 2012

Piauí realiza seu I Encontro de Mulheres Quilombolas - PI

O I Encontro Estadual de Mulheres Quilombolas do Piauí acontece nesse mês de maio. O evento começa no dia 13 de maio e está previsto para encerrar no dia 16, na comunidade quilombola Contente, município de Paulistana.  A comunidade, possui vários marcadores históricos da escravidão, restos de fazendas daquela época, troncos, e materiais que eram utilizados na escravização do nosso povo negro. O tema do encontro é: mulheres quilombolas combatendo os impactos sociais, ambientais e culturais. A expectativa é participem mais de 400 pessoas.

A Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Estado do Piauí – CECOQ-PI foi iniciada em 1989 por um pequeno grupo que ao longo destes anos vem se ampliando. O trabalho tem como objetivos principais: Ressignificar a história dos negros e negras no Brasil, preservar e valorizar a cultura afro-pindorâmica no Estado do Piauí e combater o racismo, o preconceito e a violência em geral e a luta em defesa dos direitos do povo quilombola no Piauí e no Brasil.

Para isso, a CECOQ-PI vem trabalhando principalmente através da organização e formação das comunidades, mantendo permanentemente um trabalho de formação política e social que envolve crianças, adolescentes, jovens, adultos da 3º idade, homens e mulheres de todas as comunidades identificadas pela CECOQ-PI no Estado do Piauí.

IMPACTOS: O PORQUÊ DO TEMA

A cidade de Paulistana não é um caso isolado. Assim como vários municípios do Piauí e muitos estados do Brasil, Paulistana passa por obras do (PAC I) Programa de Aceleração do Crescimento, um programa do governo federal brasileiro que engloba um conjunto de políticas econômicas . Ao todo, os impactos referentes a esse Programa, no Piauí, tomarão proporções  ao tamanho do estado de Sergipe, segundo estudos da Professora Drª Maria Suely Rodrigues de Sousa, Coordenadora do Projeto de pesquisa e extensão "Conhecimentos tradicionais e quilombolas na conservação da biodiversidade piauiense numa perspectiva sócio-jurídica", da Universidade Federal do Piauí. 
Em Paulistana, o maior impacto está sendo o da construção da Ferrovia Transnordetina. Com a obra da Ferrovia, a comunidade já está sendo literalmente atravessada. De um lado estão as casas e do outro está a principal fonte de água da comunidade quilombola, um açude, que fora construído com o intuito de minimizar o clima semi-árido. A ferrovia é bastante alta, não é certa com o chão, e funcionará por cima de um aterro que passa no meio do açude. Depois de construída ela será protegida por cercas, as quais a comunidade não poderá atravessar para ter acesso à água, num lugar muito seco e com bastante dificuldade de acesso à mesma.
No atual momento, a via já foi construída e só resta colocar os trilhos. Quem está fazendo o processo de indenização das famílias é o governo do estado, ocasionando outro impacto social. O governo estadual não tem nenhuma medida mitigadora para esse impacto e segundo o Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, as indenizações '' não pagam nem o papel pelo qual está sendo feito''. As indenizações vão de 3 mil a apenas 6 reais em alguns casos. A professora Suely avalia essa situação como uma violação aos direitos humanos da família.
Somado a isso, a comunidade Contente, que estava em processo de titulação das áreas da comunidade, está agora, ao mesmo tempo, passando por mandado de deslocamento compulsório. Suely explica: ''Um  braço do governo está dando de um lado e retirando do outro''.
Nesse contexto, as mulheres de Paulistana  estão sendo impactadas de modo diferenciado, por isso a importância desse Encontro. '' Com as obras da Ferrovia, haverá muita migração e a mulher responde por si e por toda a unidade familiar. Como homens e mulheres são assistidos diferenciadamente por esses impactos, o objetivo é discutir isso entre as próprias mulheres, o que está acontecendo e o que virá. Refletir sobre a auto organização das mulheres negras rurais bem como seus marcadores da identidade negra'', defende a pesquisadora Maria Suely que estará presente no Encontro. 

OBJETIVOS

O trabalho da CECOQ tem contribuído tanto para a ressignificação da identidade e da autoestima do povo negro, quanto para desenvolver as potencialidades dos (as) participantes, favorecendo assim a profissionalização e fortalecendo as comunidades.

Todo este trabalho tem como enfoque o aspecto cultural, ambiental e social das comunidades e a geração de oportunidades, principalmente para as mulheres que sofrem duplicidade de discriminação.

O I Encontro Estadual de Mulheres Quilombolas do Piauí tem também como meta garantir às mulheres quilombolas do Piauí a oportunidade de discussão para o empoderamento da mulher na sociedade para que as mesmas ocupem seus espaços e participem com poder de decisão. No Encontro também serão retiradas as delegadas e elaborada a construção de propostas para as mulheres quilombolas do Piauí. Estas serão apresentadas no Encontro nacional das mulheres quilombolas que será em Setembro de 2012 em Brasília - DF. 

FONTE: Correio Nagô

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa personalizada